sábado, 2 de julho de 2016

DELATOR DIZ QUE DEU R$ 5 MILHÕES PARA CAIXA 2 DE EUNÍCIO

 :   No acordo de delação premiada firmado com o Ministério Público, o ex-diretor da Hypermarcas, Nelson Mello, afirmou que pagou R$ 5 milhões em caixa dois para a campanha do senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) ao governo do Ceará em 2014.

Segundo Melo, o pagamento teria ocorrido por meio de contratos fictícios de prestação de serviços, e feito a pedido do lobista Milton Lyra, ligado à cúpula do PMDB no Senado e alvo de buscas determinadas pelo Supremo Tribunal Federal nesta sexta-feira, 1º.

O empresário contou que recebeu o pedido de ajuda por meio de um suposto sobrinho de Eunício, de nome Ricardo, que teria sido enviado por Milton Lira. "Pagou despesas de empresas que prestava serviços à campanha de Eunício Oliveira; que ajudou mediante contratos fictícios", disse Nelson de Mello em sua delação, acrescentando que foram firmados contratos fictícios com três empresas, sem a prestação de nenhum serviço.

Além dos R$ 5 milhões endereçados a Eunício, Nelson Mello relatou ter firmado diversos contratos fictícios com empresas de Milton Lyra no valor total de R$ 15,7 milhões. Segundo ele, o dinheiro não contabilizado era "ajuda para os 'amigos'", mas sem especificar quem receberia os recursos.
Para Nelson Mello, "os amigos seriam os senadores apresentados pelo Milton Lyra" em um jantar, mas nunca houve referência nominal a eles nos pedidos. Os senadores citados como os que havia conhecido eram, além de Eunício, Eduardo Braga (PMDB-AM), Romero Jucá (PMDB-RR) e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

PINHEIRO EXPLICA DEMISSÃO DE TERCEIRIZADOS DA EDUCAÇÃO

:   Menos de um mês após ter assumido a Secretaria da Educação, o senador licenciado Walter Pinheiro (sem partido) começa a implementar as medidas anunciadas para a pasta. Nesta semana, cerca de três mil vigilantes terceirizados teriam sido demitidos em escolas do Estado, e o motivo alegado pelo secretário é a inadequação das empresas com a Lei Anticalote.

"Quase na boca de assumir falei sobre esse problema. O montante, os contratos que representam R$ 600 milhões por ano, estourando qualquer limite de orçamento. E outro agravante: todos eles vencem hoje. Completamos seis anos, e a lei não permite a prorrogação, porque seria uma burla", disse o secretário à rádio Metrópole.

A Lei Anticalote é uma maneira de forçar as empresas prestadoras de serviço a garantir direitos trabalhistas como 13º salário, férias e seguro desemprego. No início de junho, Pinheiro já tinha feito declarações nesse sentido, ao informar que a Educação concentrava 50% dos contratos terceirizados do Estado.

"Precisamos impedir que uma empresa dessa suma no mundo e deixe os trabalhadores desamparados. Questionei isso ao governador, e ele respondeu: 'Pinheiro, é por isso que eu to te chamando!'", disse o secretário.

Ainda de acordo com secretário, a categoria havia sido informada sobre a substituição dos contratos irregulares há seis meses, ou seja, muito antes de tomar posse na pasta. Ele disse também que ontem seria homologado um novo processo licitatório iniciado em março. "Coincidentemente, a empresa que está com esse contrato que vence hoje é a mesma empresa que ganhou o contrato que começa amanhã. No caso da vigilância, é ultra facilitador, porque é a mesma empresa".

"Nesses quinze dias fiz todo o esforço para a gente pagar. Todo o dia eu estava na cola de Manoel Vitório [secretário da Fazenda], catando recursos, orçamentos para pagar todo mundo, principalmente para garantir que os prestadores de serviço recebam", defendeu-se.

TEMER DIZ QUE NÃO SERÁ TRAGADO PELA LAVA JATO

:  Em entrevista às páginas amarelas, o interino Michel Temer disse que é "zero" a possibilidade de seu governo vir a ser atingido pela Lava Jato, embora ele já tenha perdido três ministros para a operação: Romero Jucá, Fabiano Silveira e Henrique Eduardo Alves; Temer disse ainda ser normal se encontrar com Eduardo Cunha, o presidente afastado da Câmara, que, ontem, foi acusado de comandar um gigantesco esquema de propinas no FI-FGTS; ele afirmou ainda que como presidente nacional do PSDB tinha conhecimento apenas de doações oficiais, que estariam sendo "criminalizadas", e que sua esposa Marcela estaria "preparadíssima" para a vida pública; entrevista ocorreu antes da prisão de Lúcio Funaro, que, numa eventual delação, pode implodir todo o PMDB

DELAÇÃO DE FUNARO PODE VIR ACOMPANHADA DE GRAVAÇÕES

:  Caso decida mesmo fazer delação premiada, o empresário Lúcio Funaro poderá entregar fitas dos políticos que receberam dinheiro de suas mãos; isso porque ele, segundo uma nota publicada pelo jornalista Murilo Ramos, teria o hábito de filmar seus interlocutores; procuradoria-geral da República investiga se Funaro era responsável por financiar a bancada de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente afastado da Câmara, que controlava cerca de 55% dos votos da casa; por enquanto, Funaro nega que vá fazer delação premiada, mas ele não está mais com o criminalista Antônio Claudio Mariz, que é amigo pessoal do interino Michel Temer.

Meirelles desafina, mas Ilan surpreende

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil: <p>Brasília - Cerimônia de transferência da presidência do Banco Central, participam o novo presidente, Ilan Goldfajn e o ministro da Fazenda Henrique Meirelles (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)</p>Depois de voltar a Brasília com status de superministro e pose de eventual candidato à presidência da República em 2018, Henrique Meirelles tem andado calado nos últimos dias. O principal motivo é o simples fato de não ter o que dizer de convincente ao País.

Embora prometesse um duro ajuste fiscal, a Fazenda até agora promoveu uma das maiores expansões de gastos da história recente. Nesse pacote, entram aumentos de servidores, alívios para os estados, aumento adicional do Bolsa Família e um auxílio extra para o Rio de Janeiro, já demandado por estados do Norte e Nordeste. Ao todo, a conta da gastança chega a R$ 125 bilhões, o que chega a ser contraditório para um país que se dizia quebrado.

Meirelles parece refém da lógica política do governo Temer. Na interinidade, “bondades”. O ajuste, com a volta da CPMF e a reforma da Previdência, viria só depois da votação de agosto sobre o impeachment – o que Maquiavel certamente aprovaria.

Enquanto a Fazenda diz uma coisa e faz outra, a surpresa positiva fica por conta do presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn. Ao sinalizar o compromisso firme de que a inflação virá para o centro da meta de 4,5% já em 2017, ele contribuiu para que o dólar derretesse e caísse 11% em junho. Ao mesmo tempo, ao manter a meta em 4,5% em 2018, deixou claro que, assim que as expectativas forem ancoradas, haverá espaço para reduzir os juros.

Ilan disse ainda que o ajuste fiscal deve preceder a taxa Selic. Portanto, aos empresários insatisfeitos com o garrote monetário, cabe dizer que o alvo dos protestos deve ser Meirelles, e não Ilan Goldfajn.

MÉDICOS PELA DEMOCRACIA PEDEM ‘FORA TEMER’ NA BAHIA

:   O movimento 'Médicos Pela Democracia' lançou seu comitê em Salvador em ato realizado nesta sexta-feira; o grupo é contrário ao posicionamento do Conselho Federal de Medicina, que defende o impeachment da presidente Dilma Rousseff; "O Médicos pela Democracia entende que o impeachment é golpe, tem como pauta principal o fortalecimento do SUS e pode contar conosco para denunciar no Congresso o absurdo que é a PEC 241, de Temer, que impõe um congelamento de 20 anos nos gastos da saúde", diz o deputado Jorge Solla (PT), que é médico; durante o evento, o público gritou reiteradas vezes o 'Fora Temer'

sábado, 28 de maio de 2016

ELEONORA: AUDIÊNCIA COM FROTA PROVA RETROCESSO CONTRA A MULHER

 :  Segundo Eleonora Menicucci, ministra das mulheres do governo Dilma, houve "retrocesso do combate à violência contra a mulher com o governo golpista"; isso se deve, na sua visão, à audiência concedida pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, ao ator Alexandre Frota; "Receber esse senhor, que não só já assumiu ter estuprado, mas também faz apologia do estupro, me passa uma credencial péssima de quem está dirigindo a educação", diz ela

MINISTRO NEGA LENTIDÃO DO GOVERNO EM SE MANIFESTAR EM CASO DE ESTUPRO

:  Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, negou que o governo do presidente interino Michel Temer tenha demorado a se manifestar sobre o caso de estupro coletivo ocorrido no Rio de Janeiro; governo Temer foi criticado por opositores e nas redes sociais pela demora em se pronunciar sobre o caso que ganhou repercussão internacional. A presidente afastada Dilma Rousseff se posicionou na quinta-feira quando o caso ganhou notoriedade e o governo Temer somente nesta sexta-feira; "Não houve nenhuma demora por parte do governo federal. Nós, diferentemente de outras pessoas que assim que leem podem se manifestar, o governo federal, em respeito ao governo estadual, precisa antes de tudo ter informações do que realmente ocorreu e como ocorreu", justificou

sexta-feira, 27 de maio de 2016

CARLOS ARAÚJO: “SE CUNHA VOLTAR, A CÂMARA DESABA”

:  Presidente do Conselho de Ética da Câmara, o deputado federal baiano José Carlos Araújo (PR) disse que o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) continua “manobrando fortemente” na Casa, apesar de estar afastado da presidência por decisão do STF; o parlamentar afirmou que as mudanças na composição do conselho provam que o peemedebista permanece interferindo na Casa; segundo Araújo, Cunha tem substituído deputados titulares do colegiado por outros efetivos em vez dos suplentes; “Ninguém aposta no retorno de Eduardo Cunha, o Brasil não pode apostar. Se Cunha voltar, a Câmara desaba”, complementou

CORRÊA DIZ QUE TRATOU DE PROPINAS COM DEPUTADOS E SENADORES DO PMDB

:  Ex-deputado Pedro Corrêa disse em seu depoimento de delaçõa premiada que tratou da divisão de propinas originárias do esquema de corrupção na Petrobras com deputados e senadores do PMDB; ele também afirma que o que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva atuou para que Paulo Roberto fosse indicado para a diretoria de Abastecimento da estatal; segundo o ex-parlamentar, os pagamentos efetuados somaram US$ 6 milhões; por meio de Nota, o Instituto Lula destacou que "há mais de dois anos o ex-presidente Lula tem suas contas, impostos, viagens e conversas devassadas e não se encontrou nenhum fato que o associe aos desvios da Petrobras, porque Lula sempre agiu dentro da lei"; ainda segundo o Instituto Lula, os advogados de Lula irão pedir acesso ao suposto depoimento de Corrêa "para tomar as medidas cabíveis"